Mal da montanha

O mal da montanha, também conhecido como mal da altitude ou doença das alturas ou hipobaropatia, é a falta de adaptação do organismo em grandes altitudes, chamada “hipóxia” (falta de oxigeno). Pode aparecer a partir dos 2.000 metros acima do nível do mar e é proporcional à velocidade da ascensão e a altitude alcançada.

O mal de altitude pode afetar qualquer pessoa e é mais frequente em menores de 50 anos.

Sintomas
Comportamento nas alturas
Quando aparecem os sintomas?
O que fazer
Remédios
Casos extremos

01
02
03
04

Sintomas do mal da montanha

Na maioria dos casos os sintomas são leves ou moderados, com uma ou várias destas manifestações:

  • Dor de cabeça
  • Tontura
  • Dificuldade respiratória
  • Esgotamento físico
  • Náuseas e vômitos
  • Pulso rápido
  • Transtornos do sono
  • Dispneia súbita noturna (despertar-se bruscamente com sensação de sufoco)
  • Transtornos digestivos
  • Falta de apetite

Todos estes sintomas são típicos do mal da montanha e não é causa de preocupação.

 

Comportamento em altitudes

Antes de tudo, o mais importante é manter a calma, o fator psicológico é substancial para a desaparição rápida dos sintomas ou, em caso contrário, para o agravamento dos mesmos.
Muitos turistas se assustam com as primeiras manifestações ou antecipam os sintomas através da ansiedade por ter lido ou ouvido falar sobre as experiências desagradáveis de outros turistas. Cada pessoa tem uma reação própria ao mal da montanha e ninguém pode saber com antecipação como se sentirá em grandes altitudes.

 

Quando os sintomas podem aparecer?

Poucas pessoas são afetadas em altitudes menores a 3.000 metros acima do nível do mar.
Os sintomas podem aparecer rapidamente, em menos de uma hora do momento da chegada, ou depois de várias horas. Em alguns casos, pode-se sentir os primeiros efeitos 2 ou 3 dias despois da chegada em locais de grandes altitudes.

 

O que fazer

O ideal é subir gradualmente por pelo menos um dia (2.500 / 3.000 metros acima do nível do mar) com a finalidade de se adaptar.
Em todo caso é muito importante:

  • Manter-se perfeitamente hidratado (mínimo de 2 litros de água por dia)
  • Limitar os esforços no primeiro dia
  • Comer com moderação e privilegiar uma dieta rica em carboidratos (pão, cereais, massas, arroz, batatas, grãos)
  • O consumo de açúcar como balas e caramelos é bastante recomendado
  • Evitar fazer uso de tranquilizantes e/ou soníferos

Prevenção e alivio

  • Analgésicos: aspirina, paracetamol, etc., são recomendados com moderação.
  • Coca: todos os restaurantes e hotéis localizados nos Andes oferecem “mate de coca” (chá de coca) com folhas secas ou sachês, e são eficazes como analgésico e anestésico, bem como para regular a carência de oxigênio e a pressão arterial. Também experimente mastigar as folhas de coca como a população local faz.
  • Muña: o chá de muña é muito bom para todos os transtornos de digestão. Os guias locais aconselham aos turistas esfregar entre suas mãos uns raminhos de muña e logo inalar para aliviar a tontura.
  • Alti Vital®: produto natural mal montanha altitude
    este composto de plantas naturais reúne coca, muña e, além disso, guaraná e gengibre, o qual permite lutar contra o cansaço e aliviar a dor de cabeça, graças à cafeína.
  • Oxigênio: em caso de problemas para respirar, pode-se solicitar oxigênio nos hotéis.

Casos graves

Em casos extremos (uma de cada 5.000 pessoas aprox.), uma evolução maligna do mal de altitude pode levar a duas enfermidades potencialmente perigosas, o edema pulmonar e o edema cerebral.
O diagnóstico precoce (nas primeiras horas) é muito importante, já que é mais fácil tratar nas etapas iniciais, mediante uma hospitalização.

Edema pulmonar

O edema pulmonar de grande altitude, é uma acumulação perigosa de líquido nos pulmões impedindo a abertura das cavidades aéreas que leva à falta de ar. Os sintomas que devem levar o paciente a consultar um médico o mais rápido possível são:

  • Tosse irritante
  • Expectoração espumosa
  • Expectoração de sangre
  • Rigidez ou congestão peitoral
  • Ruídos nos pulmões
  • Coloração azulada da pele (cianoses)
  • Impossibilidade de caminhar ou coordenar os movimentos
  • Grande dificuldade respiratória em repouso

Edema cerebral

O edema cerebral de grande altitude, é uma acumulação de líquido no cérebro. Os sintomas são os seguintes:

  • faleia (dor de cabeça) de grande intensidade na nuca
  • Fotofobia (intolerância anormal à luz)
  • Problemas motores
  • Alucinações
  • Confusão
});